Carta aos leitores

Atualizado às 19h54min

Iniciado em fevereiro de 2012, o movimento “Somos Todos Lúcio Flávio Pinto” começou de forma descentralizada, a partir de manifestos de apoio por pessoas de diferentes formações e lugares do país ao jornalista paraense que deu nome e vigor à iniciativa.

Naquele momento, Lúcio, que há décadas responde a dezenas de processos judiciais em função da linha editorial do jornal independente que mantém há 26 anos, o Jornal Pessoal , acabara de ser condenado por ofensa moral a um empresário, hoje falecido, Cecílio do Rego Almeida, que comandou um megaesquema de grilagem de terras na Amazônia.

A comprovação da fraude articulada pelo empresário não foi suficiente para convencer o judiciário local de que o termo “pirata fundiário”, utilizado pelo jornalista em artigo no jornal, em 1999, não era uma agressão verbal ao grileiro, mas sim uma interpretação da contínua reprodução da violência de membros das elites econômicas brasileiras contra o patrimônio público e os bens naturais da região.

Se não houvesse a denúncia através do Jornal Pessoal, mais de 5 milhões de hectares de terras pertencentes à União seriam apropriados para beneficiar um único grupo em detrimento dos interesses de toda a sociedade brasileira.

A sentença proferida contra o jornalista pelo juiz Amílcar Guimarães, titular da 1ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Pará, não só despertou o descontentamento em relação às dezenas de processos enfrentados por Lúcio Flávio, mas também a solidariedade dos que reconhecem a importância do periódico para o apontamento de problemas e reflexões associados à região e comumente silenciados pelos veículos de comunicação locais, instituídos em um cenário de forte concentração midiática.

Criar este blog foi a forma que um grupo de apoiadores encontrou de congregar  as informações relacionadas à condenação e espalhar em ambientes virtuais a indignação do público, mobilizando pessoas em todo o Brasil – e até fora dele.

Juntos, alcançamos a meta de arrecadação dos valores para o pagamento da sentença indenizatória e ultrapassamos as expectativas de divulgação e acesso sobre o imbróglio judicial – portais nacionais e internacionais, junto com blogs renomados, veicularam notícias, além dos mais de 7 mil acessos no dia em que o juiz responsável pela sentença expôs em sua página no Facebook uma série de xingamentos contra o jornalista.

Por causa das rotinas profissionais dos administradores da página, decidimos suspender as atualizações. No entanto, o espaço será mantido para preservar virtualmente parte dessa memória de embates entre o fazer jornalístico comprometido com uma agenda eminentemente amazônica e os interesses econômicos e políticos dos que tentam impedir o acesso à informação e à comunicação pautada pelo interesse público. Esperamos que, dessa forma, o blog continue funcionando como um banco de dados importante sobre aspectos da história recente da Amazônia.

Retomaremos as postagens, se houver necessidade de novas ações coletivas em prol de objetivos semelhantes aos que o originaram.

Aproveitamos para agradecer a cada pessoa que integrou este movimento em respeito ao trabalho de um dos nomes mais importantes para o jornalismo regional. Agradecemos aos leitores que comentaram e compartilharam as postagens e que, dessa forma, ajudaram a disseminar as informações.

E, finalmente, desejamos muita sorte e saúde ao querido Lúcio Flávio Pinto, a quem enviamos o nosso carinho e um forte abraço.

Somos Todos Lúcio Flávio Pinto

***

Assim que fizemos esta última postagem, recebemos a notícia do falecimento de Dona Iraci de Faria Pinto, mãe do jornalista Lúcio Flávio Pinto e de seus irmãos, Eliacy, Raimundo José (in memorian), Luiz, Elias, Pedro e Paulo. Que a família possa encontrar conforto e paz neste momento.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Ação coletiva

5 Respostas para “Carta aos leitores

  1. Fernando J.G. Pereira - Rio de Janeiro

    Caro Lúcio!
    É aquela velha expressão:
    A História não fala dos covardes!!
    Você com esta sua luta tenaz em defesa da tão espoliada Amazônia, com certeza, já é uma Lenda Viva de toda a Região Norte, e por que não de todo o País? És um patrimônio de honradez .
    Abraço fraterno do amigo Fernando.

  2. elizabeth lorenzotti

    Contiuamos sempre solidarios com o Lucio.

  3. O jornalista Lúcio Flávio Pinto envia aos seus leitores a seguinte mensagem:

    “Agradeço pela solidariedade ativa e vital de vocês neste espaço ao longo de tanto tempo. Geralmente os apoios são efêmeros. Este, não: sua solidez o leva a só agora se dissolver no ar, onde, porém, mantém o seu perfume, como no verso da canção do maranhense João do Vale. Merecer o empenho de tanta gente valorosa foi um prêmio muito maior do que o meu merecimento.

    Em meu nome, da família e da dona Iraci, obrigado pela força nesta hora tão difícil”.

    • Você faz parte de nós, nos representa com a verdade, com seu conhecimento e com seu amor por nossa terra e nossa gente, nossos mais sinceros sentimentos nesse momento. Tereza Mártires/Minni Paulo Medeiros e família.

      • Cecilia Renner

        Oi Lucio, lamento a morte de sua mãe. Mas entendo que foi melhor assim.
        O vazio que fica é enorme, toda uma vida. Só o tempo harmoniza.
        Abraço,

        Cecília

Manifeste solidariedade

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s