Lúcio Flávio Pinto na TV: Brasil conhece mais sobre o absurdo da perseguição judicial ao jornalista no Pará

Após a emoção de receber pessoalmente o prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos na noite de terça-feira, 23, o jornalista Lúcio Flávio Pinto, que é editor do Jornal Pessoal, foi o entrevistado de dois telejornais de veiculação nacional nos dias seguintes.

Nos últimos 20 anos, por enfrentar dezenas de processos judiciais, que lhe consomem tempo, energia e outros tipos de recursos, as viagens e a participação em eventos assim tornam-se cada vez mais escassas.

Record Atualidade

Lúcio Flávio Pinto em entrevista a Paulo Henrique Amorim na noite do dia 24, terça-feira

“Amazônia é o seu mundo e o seu tema”, anuncia Paulo Henrique Amorim no início da entrevista feita com Lúcio Flávio Pinto na noite da última quarta-feira, 24, no programa de entrevista Record Atualidade.

E em seguida provoca: um dos jornalistas mais premiados do Brasil, é também um dos mais perseguidos. São 33 processos judiciais movidos contra ele, que incluem a condenação por ofensa moral, após denúncia de esquema de grilagem de terras públicas na região do Xingu, posteriormente comprovada pelo próprio poder estatal.

O crime seria chamar de “pirata fundiário” o empresário Cecílio do Rego Almeida que, sem a denúncia empreendida pela reportagem, usurparia da União pelo menos cinco milhões de hectares.

Outras ações foram movidas por empresários e magistrados locais, o que se configura como perseguição judicial que o impede de exercer livremente o jornalismo e de veicular sem coerção informações de interesse de toda a sociedade.

Os processos não só tornam dramática a vida do jornalista em âmbito privado, que ainda assim não desiste de editar o jornal produzido de forma quase artesanal cuja prioridade é o conteúdo e a cobertura qualificada da região, mas também representam, no  plano político, uma ameaça à liberdade de expressão, premissa fundamental a qualquer modelo democrático.

Participou também da entrevista a diretora do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, Renata Mielli, que também é jornalista.

Acesse aqui o vídeo completo.

Record News

Junto com Heródoto Barbeiro, Lúcio Flávio Pinto comenta o processo judicial contra Leonardo Sakamoto

No Jornal da Record News da noite desta quinta-feira, 25, Heródoto Barbeiro convida Lúcio Flávio Pinto para comentar o caso do também jornalista Leonardo Sakamoto, da agência de notícias Repórter Brasil, processado recentemente por uma juíza do Distrito Federal.

O motivo seria um post publicado em seu blog com o relato sobre a decisão da magistrada de suspender o resgate de trabalhadores que viviam em condições equivalentes à escravidão em uma fazenda de cana no Mato Grosso do Sul.

Na ação, ela exige que a matéria e os comentários dos leitores sejam retirados do ar e que mais nada relativo à sua reputação seja divulgado, sob pena de multa de R$ 10 mil por dia, pedindo também indenização por danos morais causados pelo conteúdo. Para saber mais sobre o caso, clique aqui.

Clique e assista também à entrevista completa.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Dizem por aí

3 Respostas para “Lúcio Flávio Pinto na TV: Brasil conhece mais sobre o absurdo da perseguição judicial ao jornalista no Pará

  1. Marly Silva

    Correção . Me refiro à entrevista concedida a Paulo Henrique no programa Record Atualidades .

  2. Marly Silva

    Lúcio para PRESIDENTE !
    Excelente a entrevista concedida à Record News . Esclarecedora e oportuna . Agora está explicado porque a Rede Globo não noticiou nos seus telejornais que vão ao ar em cadeia nacional a premiação da própria prata da casa , Miriam Leitão no “Wladimir Herzog”. Tudo para esconder os constrangimentos que o grupo Liberal lhe tem causado com esta interminável persguição ao jornalista Lúcio Flávio Pinto .

  3. Me considero discípulo do LÚcio Flávio. Desde nos tempos de criança em Belém do Pará a conhecer a Amazônia e a exploração da região lendo a coluna de Lúcio Fláviono jornal O LIBERAL. Aprendi também que jornalista deve falar a verdade e não se curvar diante dos poderosos do sistema corrupto. Hoje luto contra os “coronéis” que tentam manter Seropédica sob regime déspota. Nos últimos oito anos fui processado 18 vezes. Sei o que Lúcio Flávio passa e posso lançar sobre ele a minha solidariedade.
    jornalista Gilberto Pessoa

Manifeste solidariedade

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s