Instituto Sociambiental: Jornalista Lucio Flavio sofre revés no STJ

Em nota divulgada sábado último (11/2), o editor do Jornal Pessoal, Lúcio Flavio Pinto, conta que o Superior Tribunal de Justiça negou no dia 7 de fevereiro, seu recurso especial contra ação que lhe é movida pela construtora C. R. Almeida, alegando erros formais na formação do agravo, apontando entre outros itens, falta de documentos.
A decisão é do presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Ari Pargendler, negando recurso especial do jornalista paraense Lúcio Flavio Pinto contra ação que lhe é movida pela empreiteira C.R.Almeida por matéria publicada em seu Jornal Pessoal, em 1999. Nessa reportagem, Lucio Flavio denunciava a grilagem de terras praticada pelo empresário Cecílio do Rego Almeida, dono da Construtora C. R. Almeida, uma das maiores empreiteiras do país, com sede em Curitiba, no Paraná. A informação está em nota divulgada pelo jornalista no último sábado, intitulada “O grileiro vencerá?”

Além de Lucio Flavio, a ação do empreiteiro Cecílio Rêgo Almeida, falecido em 2008, envolvia outras pessoas. Processadas na comarca de São Paulo foram absolvidas pela justiça paulistana. A pedido de Lúcio Flávio, por ter dificuldades em manter um representante na capital de São Paulo, a juíza que recebeu o processo desaforou a ação para Belém. Ele acabou sendo o único punido no caso. Mesmo assim, continua disposto a continuar na luta.

“Depois de ter sofrido todo tipo de violência, inclusive a agressão física, sei o que me espera. Mas não desistirei de fazer aquilo que me compete: jornalismo. Algo que os poderes, sobretudo o judiciário do Pará, querem ver extinto, se não puder ser domesticado conforme os interesses dos donos da voz pública. Vamos tentar examinar o processo e recorrer, sabendo das nossas dificuldades para funcionar na justiça superior de Brasília, onde, como regra, minhas causas sempre foram vencedoras até aqui, mesmo sem representação legal junto aos tribunais do Distrito Federal”, diz Lucio Flavio em um trecho de sua nota.

Autor de inúmeras denúncias e reportagens sobre grilagem de terras na Amazônia, Lúcio Flavio foi processado 33 vezes e tem sido vítima de agressões e violência por isso. Leia aqui a nota divulgada pelo jornalista na qual ele relata a história.

Leia notícia na íntegra: http://www.socioambiental.org/nsa/detalhe?id=3503

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Dizem por aí

Manifeste solidariedade

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s